ISRAEL SHELI

Verse 1:
Eretz shamayim vayam,

Terra do céu e do mar,
Perach bamidbar,

Uma flor no deserto,
Zayit, chitah, seorah vegam dvash,

Azeitonas, trigo, cevada e também mel
Rimon te’ena vetamar.

Romã, figo e tâmaras

Hayom yom huledet vechag,

Hoje é um aniversário e um feriado
Le’ertz avotai,

Para a terra dos meus antepassados.
Behora sochevet netzeh babachol,

Em uma hora arrebatadora, vamos sair em dança
Beyachad nashir ad bli dai.

Juntos nós vamos cantar sem fim.

Chorus:
Sovu maagalim

Círculos dão voltas e voltas
Shiru lahilulim

Cante para a revelação.
Mi zo chogeget beh ayin shanim?

Quem está comemorando setenta anos?
Israel sheli!

Meu Israel!

Hadliku ha’orot

Acenda todas as luzes
Shiru bakikarot

Cante nas praças.
Hanifu lemaala et kol hadgalim,

Levante as bandeiras
Israel sheli!

Meu Israel!

Verse 2:
Shavnu elayich lekan,

Nós voltamos para você aqui
Miketzvei tevel,

De todos os cantos do mundo
Banu livnot bach velehibanot,

Nós viemos construir e ser construído
Eretz Israel.

Terra de Israel.

Degel kachol lavan,

Uma bandeira azul e branca,
Magen David simlech,

Uma estrela de David, seu símbolo
Yerushalaim birah le’olam,

Jerusalém, sua eterna capital
nezer shel or leroshech.

Uma coroa de luz na sua cabeça.

Chorus:
Sovu maagalim

Círculos dão voltas e voltas
Shiru lahilulim

Cante para a revelação
Mi zo chogeget beh ayin shanim?

Quem está comemorando setenta anos?

Israel sheli!

Meu Israel!

Hadliku ha’orot

Acenda todas as luzes
Shiru bakikarot

Cante nas praças.
Hanifu lemaala et kol hadgalim,

Levante as bandeiras
Israel sheli!

Meu Israel!


Anúncios

Gam Ki Elech


Gam ki elech b’gay tzalmavet lo lo lo irah rah
Gam ki elech b’gay tzalmavet lo lo lo irah rah
Lo lo lo lo lo irah rah ki ata imadim
Lo lo lo lo lo irah rah ki ata imadim

Gam ki elech b’gay tzalmavet lo lo lo irah rah
Gam ki elech b’gay tzalmavet lo lo lo irah rah

Lo lo lo lo lo irah rah ki ata imadim
Lo lo lo lo lo irah rah ki ata imadim.

Salmo 23:4


Quase shabat….

Fugindo em 3 – 2 – 1

Férias, oh férias!  por que você acabou??? Pois então, “acabou-se o que era doce” …. Vamos lá! Hoje eu tenho uma historinha engraçada, sabe né?! Tem coisas que só acontecem comigo, que não tem como passar em branco sem registrar… (rsrs).


Estava eu e uma amiga, em um Shabat qualquer, sentada na calçada, conversando normal (até ai tudo certo), quando a gente nota a aproximação de um senhorzinho (me refiro senhor porque ele tem 53 anos, se me lembro bem). Vou apelidar de “detetive”; pois bem… Detetive se aproximando:

Detetive: Olá moças, acho que nunca tive a oportunidade de conversar com vocês, estão em algum assunto particular?

E a gente com cara de paisagem:

Mocinha 1 e 2: Não não… tranquilo.

Detetive: Então, faz quanto tempo que vocês estão vindo aqui?

(eu Ana sou a mocinha 1 e minha amiga é a mocinha 2, certo?)

Mocinha 1 e 2: quase um ano…

Mocinha 2: e você? (tentando ser educadinha)

Detetive: eu estou aqui desde 1989, e… bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla …..

(10 minutos depois)

Mocinha 1 e 2: ah, legal…

Detetive: Qual seu nome completo?

(nome completo??? Pirou??) Com aquela cara de paisagem respondemos, sem entender nada… e ele continuou…

Detetive: então, meu nome é Detetive Chato de galocha… e tenho descendência bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla

(20 horas depois)

Detetive: então, tive uma noiva, mais desisti por que bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla…. e fui padrinho de casamento dela, e foi muito ruim e bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla….

Detetive: eu trabalho com bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla…..

Detetive: e vocês??? Fazem o que?? Onde moram??

(e mais um milhão de perguntas… e eu já querendo sair correndo dali, e a minha amiga, codinome mocinha 2, tentando ser educada e respondendo timidamente o interrogatório e eu olhando as pontas duplas do meu cabelo, e pensando como fugir dali… e ele perguntando, perguntando…)

Mocinha 1: Então, será que tem café na cozinha??

Mocinha 2: deve ter…

Mocinha 1: vamos lá ver??

Mocinha 2: vamos!!!! Então Detetive, até depois….

E saímos calmamente, e eu falando pra mocinha 2 “e ai, pegou o currículo?? Anotou tudinho??” e ela “acho que perdi algumas partes” e eu “vamos antes que ele peça nosso CPF”. E saímos correndo… e ok. No Shabat seguinte, novamente a gente sentada no banquinho, e a mocinha 2:

Mocinha 2: vou lá no quarto, tirar um cochilo antes do ensaio…

Mocinha 1: vai lá….

E ela foi, e eu fiquei sentada pensando na vida, quietinha…. quando olho e o Detetive se aproximando e eu pensando “putz, me ferrei… o que fazer?? o que fazer??? Pensa Rápido!!!”. Não deu… ele sentou do meu lado…

Detetive: E ai Ana, quantos irmão você tem??

Na hora meu medo tomou conta, aquele senhorzinho ia me interrogar, ligar um poligrafo pra saber se eu estava falando a verdade!!! D-us, que medo!! Corre, corre!!! Dei um pulo do bando, em pé e de costas respondi…

Mocinha 1: Sou filha única!!!

E fui parar na mesa do outro lado da mureta!!! Gente, fui tão rápida, mais tão rápida, que acredito que eu dei um salto mortal com efeito para pular o murinho que tem lá… serio, sou a pessoa mais mal educada do planeta!!!! Dai fiquei lá na mesa sentada pensando “putz, que grossa que sou!!!”. Dai a noite, fui contar pra minha amiga que o detetive veio me interrogar, e eu fiquei com medo dele pedir meu CPF e sai correndo, e falei pra ela “ainda bem que você não viu, porque ia brigar comigo..” e ela se matando de rir da minha cara…. ai ai, morri de vergonha!!! Mais serio, o que ia fazer?? Ou melhor, o que você faria se um desconhecido viesse perguntar seu nome completo, e endereço, e o que você faz da vida, e o que você não faz e bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla bla…

Ah, fiquei com medo, vai que ele é psicopata malucão?!

Desculpa a grosseria.. é o jeitinho Ana de ser…. (rsrs)

O dia que D-us parou para fazer Chalah comigo…

17 de Janeiro de 2018, dia da minha Chalah inesquecível. Já fiz um post aqui falando sobre o que é a Chalah, e a receita, então vamos pular essa parte.

Ontem foi um dia bastante complicado pra mim, um dia turbulento, que sai da fabrica e dentro do carro já fui perguntando a Hashem “por que? Por que, quando mais a gente tenta fazer o certo, mais as coisas dão errado?” e Ele, ficou em silencio, ouvindo minha “reclamação”… e tudo bem. Tem dias que é assim, a gente só quer sentar e chorar, ou reclamar, ou lamentar… e tava eu lá… Antes disso, falei pra minha amiguinha, que eu estava “revoltadinha” e ia pra casa direto dormir, que ganhava mais… e ela “vai em paz”, e eu fui….

Cheguei em casa, fui para o quarto e deitei, fiquei lá uns 15 ou 20 minutos, choramingando os acontecimentos da vida… em certo momento, minha mente simplesmente esvaziou, levantei, minha mãe tinha ido na casa da minha tia, vi que ela tinha comprado fermento; meio que no “modo automático”, separei as coisas para fazer Chalah… Fermento, açúcar, ovo, óleo, água… Misturei tudo e fui peneirando a farinha, com a mente vazia, e uma sensação de tristeza, que não tem como explicar… meu celular, apitava de mensagem, minha mãe voltou,  e eu ali.. peneirando e colocando farinha na minha mistura, sem pensar em nada… fiquei amassando mais ou menos 1h, e poe farinha, e na minha cabeça “isso nunca vai dá certo, não vai desgrudar nunca!!” e a resposta que tinha é “calma, poe mais um pouquinho de farinha” e eu fazia… E minha mãe rodeava, e olhava com uma cara de que não ia dar certo, aquela bagunça…e eu ali, amassando e curtindo a minha tristeza de um dia ruim que pra mim era uma vida inteira ruim…

Aos poucos minha massa foi melhorando, e eu fui fazendo, todas as dicas, que todo mundo tinha me dado, meio que tentando salvar algo que não tinha como dar certo (pensamento pessimista total). Coloquei a massa descansar, enquanto lavava a louça, e quando virei para trançar, a massa já tinha crescido, pensei “sensacional!!! Tá, pode ser que dê certo…

Trancei a massa, e coloquei na forma, olhei aquelas trancinhas mau feitas, meio feias, e eu “é o que sei…” e coloquei no forno pra crescer…Era a hora da verdade!!! Sentei no sofá, em silencio, já passava das 19h… falei com a minha amiga, que achava que talvez meu pão desse certo… E ela: “É o Pai, tentando te agradar…” e eu, “D-us querendo fazer pão!” e ri, comigo mesmo… Tipo: “capaz mesmo”… 19:50, fui olhar como tava minha Chalah, e levei um susto, ela simplesmente tava mais que o dobro de tamanho… E eu “ual” e sorri… Todo aquele azedume do dia ruim, sumiu, e eu “olha mãe!?” e ela: “que lindo!!” e eu fiquei faceira (rsrs)… Passei o ovinho com açúcar, e coloquei no forno, e assou, e deu certo!!!! Pensei comigo: “nem parece eu que fiz”. Comi felizona… Tomei banho e fui dormi, eram umas 21:30.

Fui felizona, rezar e contar a D-us que tudo deu errado, mais minha Chalah tinha dado certo.. e Ele na sua infinita sabedoria, me respondeu:

“Nossa chalah!!”

E me lembrou de João 16:33 -> Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.

Fiquei literalmente sem palavras, D-us me mostrou que a vida é assim, como minha Chalah… Parecia que não ia dar certo, parecia que estava tudo errado, que não tinha jeito… só um pouquinho de farinha a mais, devagar, com carinho, sem pressa, e no final, com toda certeza vai sair uma Chalah linda, e boa de comer…

Toda vez que D-us se mostra, fico em um estado inexplicável… Como se eu fosse a pessoa mais importante do mundo (rsrs), Ele sempre fala comigo, responde com paciência, mais as vezes… As vezes é especial, impressiona, e faz a gente lembrar o quanto somos pequenos perto dEle, o quanto somos choramingões, e chatos…

Como Yeshua falou “tende bom animo, mesmo com as aflições!!!” e vamos ter bom animo…. Um dia ruim, que terminei feliz, tudo porque “nossa Chalah” deu certo!!!

Obrigada D-us, por estar na minha vida, todo dia, o tempo todo….

Baruch Hashem!!! Shalom…